Image Map

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Com o lançamento do primeiro CD da banda Rixton, ‘Let The Road’, muitos sites pelo mundo fizeram suas avaliações do álbum e de cada uma das faixas. Confira a opinião do site Female First

 

Rixton escolhe a melhor opção para a primeira música, que dá nome ao álbum Let The Road, mostrando a habilidade individual de cada um dos membros em uma faixa que remete aos Warblers de Glee. É uma escolha inspirada e um lado da banda que ainda não conhecíamos. Nós sabíamos que eles conseguiam fazer músicas pop chiclete, mas essa realmente mostra o talento do quarteto.

Com “Let The Road” sendo mais uma apresentação aos meninos do que uma faixa de abertura, as coisas realmente começam com “Wait On Me”. O estilo de Benny Blanco é identificado imediatamente junto a produção da Stargate em uma música que tem a fórmula perfeita para ser um grande sucesso. Parece excessivo ter 7 compositores em uma única música, mas se é esse tipo de coisa que vamos ganhar com isso, não vou reclamar.

“Appreciated” é a tradicional balada emocional de toda boyband. Não está no mesmo nível que “Night Changes” do One Direction – desculpe pelas comparações – mas ela se garante como algo único que a banda entrega traçando um caminho  perfeito para chegar na grande balada “Beautiful Excuses”.

Normalmente com um álbum de estreia, uma boyband vai com tudo no pop e entrega um monte de batidas viciantes que grudam na cabeça dos adolescentes, nunca ultrapassando as expectativas do que um grupo masculino deveria fazer. “Beautiful Excuses” mostra que a Rixton não é como o resto – eles se permitem derrubar as barreiras e se arriscar e essa música compensa tudo isso. Mais do que isso, você realmente acredita em cada palavra cantada – soa como se eles realmente tivessem alguma experiência nessa área. Dê uma olhada nos compositores dessa faixa em particular e o argumento é embasado pelo fato de que todos os quatro membros a escreveram sem a ajuda de outras pessoas.

“Me and My Broken Heart” é um pedacinho do paraíso do pop como já sabemos, enquanto “Hotel Ceiling” mais uma vez se desfaz em uma performance emocionada e apaixonada de uma música detalhando um término complicado – algo com que muitas pessoas podem se relacionar. A composição dessa vez de Ed Sheeran e Benjamin Levin e não é difícil imaginar o ruivo com um violão na mão a cantando como trabalho solo. Apesar de não soar muito como um bom single, é com certeza um dos melhores momentos do álbum, ou pelo menos um que vai ficar na memória do ouvinte por algum tempo depois de ouvir.

Mike Posner se junta aos compositores Levin e Ammar Malik para fazer “I Like Girls” – uma música que celebra o gênero feminino e rapidamente coloca as mulheres como “provocações” – o que n]ao é algo que apoiamos, mas por sorte é a música mais curta do disco.

“Speakerphone” é outra que o grupo escreveu sozinho – não é tão boa quanto a anterior “Beautiful Excuses”, mas não é ruim.

Lançada antes do álbum, ” We All Want The Same Thing” é uma música perfeita para o verão. A banda tem a habilidade de deixar todo o seu talento claro nessa faixa, que é a melhor que já lançaram até agora.

Para finalizar as coisas vem a incrível “Whole”, em que a banda permite que todos saibam que não são só mais um grupo formado pela fama e pelo dinheiro. Eles são apaixonados pela indústria em que estão e sua música é um ótimo padrão para os que virão depois. A era das boybands é agora e Rixton poderia e deveria estar guiando esse caminho.

 

 

Fonte

Tradução e Adaptação por Equipe Rixton Brasil



Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *